NOVO PRESIDENTE DO PMDB PERNAMBUCANO DIZ QUE SERÁ DÍFICIL ALIANÇA PMDB/PSB EM PETROLINA

Raul Henry assume presidência do PMDB em Pernambuco. Foto: divulgação.

Com perfil moderado, o vice-governador de Pernambuco, Raul Henry, assumiu neste sábado (18) o comando estadual do PMDB, no lugar de Dorany Sampaio, à frente da sigla desde 1988. Henry tem pela frente o desafio de colocar o partido na rota do crescimento, mas adota cautela quanto às articulações políticas. A missão é fortalecer a legenda para as eleições municipais do próximo ano. No arco de alianças do PSB, Henry afirma que vem mantendo conversas com o governador Paulo Câmara sobre a disputa eleitoral.

“Acho que nós [PMDB e PSB] faremos aliança em grande parte dos municípios de Pernambuco, mas em outros municípios, onde a realidade política não permitir, cada um segue seu caminho. O exemplo de Petrolina é claro. Lá, temos um prefeito do PMDB que disputou a eleição contra candidato do PSB e lá a política é muito radicalizada,dificilmente faremos aliança em Petrolina“, explicou Henry, durante a convenção estadual.

Segundo o político, a costura das alianças e possíveis rompimentos em algumas regiões é visto como “muito natural”. Continuar lendo

‘A DISPUTA PELA CADEIRA DE JULIO LOSSIO’

Em sentido horário: Miguel Coelho (PSB), Lucas Ramos (PSB), Odacy Amorim (PT), Gonzaga Patriota (PSB), Adalberto Cavalcanti (PSB) e Fernando Filho (PSB).
Em sentido horário: Miguel Coelho (PSB), Lucas Ramos (PSB), Odacy Amorim (PT), Gonzaga Patriota (PSB), Adalberto Cavalcanti (PSB) e Fernando Filho (PSB).

Por Marcela Balbino, repórter do Blogdejamildo

A pouco mais de um ano para a eleição de 2016, Petrolina respira o clima eleitoral e o pleito promete ser acirrado. A lista está repleta dos principais nomes da política local. Em diferentes graus de exposição, os seis deputados estaduais e federais eleitos na cidade sinalizam o interesse em ingressar no páreo pela prefeitura. O confronto pode ser marcado ainda pela disputa interna no PSB. Quatro miram a vaga – Fernando Filho, Miguel Coelho, Lucas Ramos e Gonzaga Patriota.

Em seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa de Pernambuco, o deputado Lucas Ramos (PSB) não disfarça o desejo de governar a cidade. No bojo das articulações, ele se aproxima do atual prefeito Júlio Lóssio (PMDB) em busca do espólio eleitoral do gestor. Na tentativa de gabaritar-se para o cargo, Ramos viajou em abril para a Colômbia a fim de conhecer iniciativas na área de segurança pública.

O secretário de Segurança Urbana do Recife, Murilo Cavalcanti (PMDB), vem estimulando a candidatura do conterrâneo. Filho do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Ranílson Ramos, o deputado diz que o intuito é reunir as forças da Frente Popular e buscar união com o PMDB. Na última sexta, o socialista encontrou-se com o deputado federal Jarbas Vasconcelos, cacique-mor do PMDB no Estado, para amadurecer os planos políticos.

“Nós tivemos apoio de parte do grupo de Lóssio e defendemos a parceria administrativa. A gente quer reeditar em Petrolina a parceria da Frente Popular que teve aprovação de 67% dos eleitores que elegeram Paulo Câmara governador”, explicou.

Quanto às desavenças políticas do PSB com o atual prefeito, latentes nas duas últimas eleições, Ramos alertou para a “dinâmica da política”. “Acho que o fato de o prefeito ter disputado eleição contra candidato do PSB não quer dizer que ele seja adversário político a vida inteira”, grifou. “É preciso priorizar o projeto político. A cidade não pode ser tratada como projeto familiar”, alfinetou Ramos.

Considerado o “candidato natural” dentro do PSB, o deputado federal Fernando Filho descarta aliança dos Coelho com o grupo de Lóssio. Diz que está vivendo bom momento na vida parlamentar, como líder do PSB na Câmara, mas não esconde as intenções eleitorais.

“Não estou pautando eleições neste momento. Procurei o governador e comentei que devíamos ter uma conversa no fim do segundo semestre, não apenas sobre o cenário de Petrolina, mas de outras cidades-chave do Sertão”, disse.

Refutando “imposições”, Fernando considera “legítima” a movimentação de correligionário. Segundo ele, será respeitada a vontade da maioria do partido e não haverá “bate-chapa”. Continuar lendo

UNIFICAÇÃO DAS ELEIÇÕES PODE GERAR 3 MILHÕES DE CANDIDATOS POR PLEITO

Unificação das eleições pode gerar 3 milhões de candidatos por pleito

Foto: Carlos Humberto/ SCO/STF
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dias Toffoli, disse nesta quinta-feira (28) que o fim da reeleição pode diminuir o número de processos que tramitam na Justiça Eleitoral, mas a unificação dos pleitos causa uma preocupação, pois criará demanda de cerca de 3 milhões de candidaturas em um mesmo período. “A questão é que gera muito processo, imagina, pode gerar 3 milhões de processos de registro de candidatura em um único pleito, 3 milhões de prestações de contas, e é um número muito alto”, disse Toffoli.
Segundo ele, essa preocupação é do ponto de vista operacional, mas “não há nenhum tipo de dificuldade” na questão da segurança das eleições, e “a Justiça Eleitoral estará sempre apta a fazer aquilo que o Congresso vier a determinar”. “No que diz respeito ao fim da reeleição, sem fazer juízo de valor, se é melhor ou pior, há um dado concreto. Isso diminui o número de processos na Justiça Eleitoral, porque há muitos processos que envolvem a ideia de uso da máquina administrativa, medidas e programas que são criados para fins eleitorais no ano de eleição, e isso gera muito processo na Justiça Eleitoral”, acrescentou.
Quanto à aprovação, também em primeiro turno, da PEC que autoriza doações de empresas privadas a partidos políticos, Toffoli disse que o estabelecimento de limites de gastos é “bastante importante”. “Hoje são os próprios candidatos que se autolimitam. Ou seja: o céu é o limite. Eu já tive a oportunidade também de dizer em audiências públicas, no Congresso, da necessidade de se colocar limite de gastos, e também o limite de doação das pessoas jurídicas é muito alto: 2% do faturamento.
É necessário que se coloque um valor nominal fixo, por empresa, para doação, além desse proporcional sobre o faturamento”, afirmou.

ELEITOR QUE NÃO VOTOU NAS TRÊS ÚLTIMAS ELEIÇÕES TEM ATÉ HOJE PARA REGULARIZAR

Foto: reprodução internet.

Os eleitores que faltaram ou não justificaram a ausência em três eleições seguidas tem até a próxima segunda-feira (4) para solicitar a regularização da inscrição junto ao cartório eleitoral e à Central de Atendimento ao Eleitor da Capital (CAEC), no Forte das Cinco Pontas. Quem não corrigir a situação poderá ter o título cancelado.

A regularização pode ser feita em qualquer cartório eleitoral. O Tribunal Regional Eleitoral alerta que cada turno é válido como uma eleição.

As implicações para quem não regularizar a situação com a Justiça Eleitoral são diversas, entre elas: impedimento para tirar passaporte, candidatar-se a concurso público, se matricular em instituições de ensino, ou ainda, participar de programas de benefícios sociais, como o Bolsa Família.

Para consultar se o seu documento está sujeito ao cancelamento, o eleitor pode acessar o Portal do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco no caminho Eleitor>Situação Eleitoral.

TÍTULOS ELEITORAIS IRREGULARES SERÃO CANCELADOS A PARTIR DO DIA 4 DE MAIO

Títulos de eleitor irregulares serão cancelados a partir do dia 4 de maio

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
Eleitores em situação irregular na Justiça Eleitoral terão o título cancelado após o dia 4 de maio, caso não compareçam ao cartório eleitoral. São considerados irregulares cidadãos que não votaram nas três últimas eleições, o que corresponde aos três últimos turno para a Justiça Eleitoral.
É possível verificar a situação do título por meio do site do Tribunal Superior Eleitoral. Em caso de irregularidade, é necessário comparecer a um cartório com documento oficial com foto. Além do impedimento de votar, cidadãos irregulares não podem obter passaporte, ser empossado em cargo público ou renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo, além da dificuldade para obter empréstimos em bancos oficiais e participar de concorrência pública ou administrativa.

QUEM NÃO VOTOU NAS TRÊS ÚLTIMAS ELEIÇÕES TERÁ TÍTULO CANCELADO A PARTIR DE HOJE

blogqspcanceladoA partir desta segunda-feira (23), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgará o nome e o número de inscrição destas pessoas em seu site. Um pleito corresponde a um turno, logo quem não votou nos últimos três já está na relação.

De acordo com o TSE, para estar quite na Justiça, o eleitor deve ir a qualquer cartório eleitoral, munido de documento com foto, título (se tiver), pedir quitação das multas, pagar e mostrar o comprovante para o atendente.

Segundo o TSE, o eleitor terá até 4 de maio de 2015 para normalizar seu débito. Após essa data, o documento será automaticamente cancelado.

A resolução 23.419/2014 do TSE consta que, sem o título de eleitor, o cidadão fica impossibilitado de assumir cargo público, tirar passaporte e perde o benefício do Bolsa Família.

TSE IRÁ CANCELAR TÍTULOS DE QUEM NÃO VOTOU NAS ULTIMAS ELEIÇÕES

blogqspeleiçõesdemocracia0

Os eleitores que não votaram nos últimos três turnos consecutivos terão seus títulos cancelados.

A partir da próxima segunda-feira (23), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgará o nome e o número de inscrição destas pessoas em seu site.

Um pleito corresponde a um turno, logo quem não votou nos últimos três já está na relação.

De acordo com o TSE, para estar quite na Justiça, o eleitor deve ir a qualquer cartório eleitoral, munido de documento com foto, título (se tiver), pedir quitação das multas, pagar e mostrar o comprovante para o atendente.

Segundo o TSE, o eleitor terá até 4 de maio de 2015 para normalizar seu débito. Após essa data, o documento será automaticamente cancelado.

A resolução 23.419/2014 do TSE consta que, sem o título de eleitor, o cidadão fica impossibilitado de assumir cargo público, tirar passaporte e perde o benefício do Bolsa Família.

REFORMA POLÍTICA PODE ACABAR COM VOTO OBRIGATÓRIO NO BRASIL

blogqspeleiçãoO Congresso Nacional começa a discutir o fim do voto obrigatório, dentro de um pacote de medidas proposto para fazer uma reforma política, em uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC).
O texto começou a tramitar na Câmara na semana passada, quando foi instalada uma comissão especial para analisar a matéria.
A obrigatoriedade do voto foi instalada no Brasil em 1984, em que determina que cidadãos de 18 aos 70 anos, devem comparecer as urnas, a cada dois anos. Dos 193 países reconhecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), apenas 24 adotaram essa imposição.
Para a historiadora Reginal Alves da Silva, professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Brasil tem pouca experiência com o exercício da democracia e que o voto no país não é encarada com “consciência política”, mas como “troca de favores”. A professora considera indefensável o argumento dos que querem a manutenção do voto obrigatório, que dizem que a instalação do voto facultativo “enfraquece” o pleito eleitoral, já que eles vislumbram forte abstenção do eleitor descrente com a política . Continuar lendo

VOTO IMPRESSO PODE VOLTAR COMO INSTRUMENTO DE AUDITORIA

Voto impresso pode voltar como instrumento de auditoria das eleições

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Após a oposição questionar o idoneidade do resultado das urnas eletrônicas nas eleições presidenciais de 2014, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado analisa o projeto da senadora Ana Amélia (PP-RS) que determina o acoplamento de mecanismos que permitam a impressão do voto nas urnas eletrônicas.
O objetivo é possibilitar, após as eleições, avaliar por amostragem o desempenho dessas urnas, de acordo com a Agência Senado. Segundo artigo do projeto, a impressão do voto se dará em um “número suficiente” de urnas nos estados e municípios, de modo a garantir uma aferição adequada. Ana Amélia apresenta três razões para a apresentação da proposta.
Em primeiro lugar, a persistência de boatos, ao final de cada eleição, a respeito de fraudes, que mesmo sem qualquer comprovação, “minam a confiança do eleitor”, acredita a senadora. Ela também cita manifestações recentes de professores da Universidade de Brasília (UnB) que afirmam ter conseguido penetrar no sistema que comanda as urnas, demonstrando suas vulnerabilidades tanto no que se refere ao sigilo do voto quanto a tentativas de manipulação.
A senadora acrescenta que “não se deve confiar cegamente num sistema, uma vez que todos são, por definição, falíveis”. “Qualquer sistema eletrônico de votação utilizado deve prever mecanismos de auditoria. Esses mecanismos estão ausentes na forma como a urna é utilizada hoje.
Outra não é a razão de nosso sistema, em que pese suas evidentes vantagens em termos de rapidez e operacionalidade, não haver conseguido sucesso junto a outras democracias”, afirma Ana Amélia.

FOI DADA A LARGADA PARA DISPUTA DO PTB E PSB À PREFEITURA DE SALVADOR

blogqsp.Edvaldo_Lidice_Antonio_Brito_Silvio

A senadora Lídice da Mata, o deputado federal Antonio Brito e o vereador Edvaldo Brito se encontraram no cortejo do Bonfim e reafirmaram o compromisso de trabalharem para construir candidaturas próprias de cada partido para prefeito de Salvador no próximo ano.

Para tanto, discutiram formas de atuação e vão promover seminários a partir de março para discutir os problemas da capital baiana e apresentar sugestões de solução, abrangendo principalmente mobilidade, moradia e tributação justa.

HOJE É O ÚLTIMO DIA PARA JUSTIFICAR AUSÊNCIA DE VOTO NO SEGUNDO TURNO DAS ELEIÇÕES/2014

Prazo para justificativa eleitoral termina nesta sexta
 O eleitor que não votou no segundo turno das eleições deste ano tem até esta sexta-feira (26) mês para justificar a ausência nos cartórios eleitorais de sua cidade. Para resolver a pendência com a Justiça Eleitoral, é preciso apresentar requerimento de justificativa e comprovante do que impossibilitou o comparecimento às urnas.
A falta de justificativa em três eleições consecutivas provoca o cancelamento da inscrição eleitoral. A Justiça considera cada turno uma eleição. Segundo a Agência Brasil, além de ter o título cancelado, o eleitor fica impedido de tomar posse em cargo público, tirar passaporte e obter empréstimos em bancos oficiais.

FACAPE E TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL FIRMAM PARCERIA PARA PROJETO ‘MESÁRIO VOLUNTÁRIO’

blogqsp-facapeA Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape) será parceira do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) na seleção de estudantes para o projeto ‘Mesário Voluntário’. A parceria foi pauta de uma reunião entre o presidente da faculdade, Rinaldo Remígio, e os representantes do TRE.

Estiveram presentes o analista da Escola Judiciária Eleitoral, Maison de Figueiredo, e o técnico judiciário do tribunal, Tancredo Ferraz. O projeto ‘Mesário Voluntário’ tem por objetivo convocar pessoas voluntárias para trabalhar nas eleições. Atualmente, a iniciativa já conta com 32 Instituições de Ensino Superior (IES) que são parceiras e colaboram no recrutamento de estudantes universitários.

Segundo o analista Maison de Figueiredo, os alunos voluntários podem converter as horas trabalhadas em atividades complementares. “São quatro horas referentes ao treinamento do mesário e 12 horas trabalhas no dia da eleição. Havendo 2º turno serão contabilizadas mais 12 horas”, comentou. Continuar lendo

TSE APROVA COM RESSALVAS, AS CONTAS DA CAMPANHA DA PRESIDENTA DILMA

Talita Fernandes e Beatriz Bulla | Estadão Conteúdo

blogqspeleição 2014

Por unanimidade, os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovaram com ressalvas as contas de campanha da presidente Dilma Rousseff. O ministro Gilmar Mendes, que é o relator das contas, foi o primeiro a votar e foi seguido pelos ministros Luiz Fux, Maria Thereza de Assis Moura, Luciana Lóssio, Admar Gonzaga, João Otávio de Noronha e Dias Toffoli. Mendes fez uma extensa leitura de seu voto, que durou quase duas horas, com menção aos escândalos da Lava Jato e do mensalão, a sugestões para aprimoramento do sistema eleitoral e análises sobre financiamento de campanha.

Ele sugeriu melhoras no mecanismo de prestação de contas, chamando atenção para a necessidade de maior transparência e detalhamento dos dados apresentados por candidatos e partidos. Ao apontar os problemas encontrados pela área técnica, Mendes sugeriu que uma cópia da decisão do TSE seja encaminhada à Procuradoria-Geral da República e à Procuradoria-Geral Eleitoral, à Receita Federal, às secretarias de finanças de São Paulo e São Bernardo do Campo, ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), à Receita Federal e ao Tribunal de Contas da União, para análise das irregularidades encontradas.

Ele citou reportagem do jornal Folha de S.Paulo, segundo a qual um dos sócios administradores de empresa fornecedora da campanha de Dilma declarava, até ano passado, a profissão de motorista. A empresa, Focal Confecção Comunicação Visual, recebeu R$ 24 milhões da campanha, configurando a segunda maior fornecedora. O ministro Admar Gonzaga sugeriu que todas as contas de campanha então devem ser encaminhadas ao Ministério Público. “Há que se aplicar com um mínimo de equidade as propostas (de Gilmar Mendes)”, disse Gonzaga.

Ele considerou ainda “muito normal” os problemas apontados pela área técnica de divergência entre a prestação parcial e a prestação final das contas.

O plenário lembrou que há orientação do próprio TSE, conforme divulgou o Broadcast Político que enquadra os problemas na divulgação de despesas na primeira parcial como “impropriedade” e não como “irregularidade”, como fizeram os técnicos. Mais de R$ 30,5 milhões nos gastos da campanha petista foram classificados como irregularidades pelos técnicos – gradação máxima na escala de problemas previstos pelo TSE, capaz de gerar rejeição das contas.

A ministra Luciana Lóssio apontou o caso como um “equívoco no enquadramento”. “Isso não pode ocorrer. Se se faz um enquadramento como algo menor, não pode agora qualificar como falha maior a ponto de gerar desaprovação”, disse Lóssio.

Mendes mencionou que se verificaram dificuldades para que os partidos cumpram na prática as previsões de prestação parcial de contas. Os volumes do processo de prestação de contas foram levados por Gilmar ao plenário do TSE e se acumularam ao lado da composição da corte. Mendes classificou as contas da presidente Dilma e do PT como “a maior” prestação de contas da história do tribunal. Toffoli destacou o trabalho dos técnicos da Corte, que, segundo ele, chegaram a passar 36 horas sem dormir para finalizar os trabalhos.

ELEITOR TEM ATÉ ESTA QUINTA (04) PARA JUSTIFICAR AUSÊNCIA NO 1º TURNO

blogqsoeleitorTermina hoje (4) o prazo para que os eleitores que não compareceram às urnas no primeiro turno apresentem a justificativa de ausência ao juiz eleitoral.

O requerimento pode ser entregue pessoalmente em qualquer cartório eleitoral ou enviado por via postal ao juiz da zona eleitoral em que o eleitor está inscrito.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a justificativa de ausência deve ser acompanhada de documentos que comprovem a impossibilidade de comparecimento no dia da eleição, nesse caso, 5 de outubro.

O prazo de quinta-feira vale para os eleitores que não compareceram à seção eleitoral, nem justificaram a ausência no primeiro turno. Para o segundo turno, o prazo vai até 26 de dezembro, 60 dias após o pleito. O eleitor que deixou de votar no primeiro e no segundo turnos deverá apresentar a justificativa para cada turno separadamente.

A lista de endereços dos cartórios eleitorais pode ser consultada na página do TSE na internet.

(Luana Lourenço/ABr)

SUSPEITA DE FRAUDE NAS URNAS ELETRÔNICAS CAUSA POLÊMICA

blogqspdavifraude1Depois dos rumores de que a urnas eletrônicas são fraudadas o ex-candidato Davi Lima que já havia discutido o assunto por ter sido um dos prejudicados, voltou ao Programa Bastidores Notícia nesta quarta-feira (03).

Para Davi Lima a fraude nas urnas eletrônicas transfere os votos dos eleitores para outros candidatos, o que acaba invalidando o direito de escolha, ele alerta a que a população deve buscar na internet matérias e publicações sobre o assunto para obter conhecimento da causa e lutar por direitos.

Leia o texto a seguir de Rodrigo Constantino:

Recebi várias denúncias com evidências de fraude nas urnas eletrônicas, que circulam pelas redes sociais. Minha opinião sempre foi a de que pode ter ocorrido manipulação pontual, aqui e acolá, mas não o suficiente para decidir o pleito. Se bem que a vitória foi bem apertada, e bastava adulterar algumas urnas para mudar o resultado… Continuar lendo